Políticas

Política de Dividendos

 

A Cyrela pretende declarar e pagar dividendos e/ou juros sobre o capital próprio, em cada exercício social, no montante de aproximadamente 25,0% do seu lucro líquido ajustado de acordo com a Lei das Sociedades por Ações e o seu Estatuto Social.

A declaração anual de dividendos, incluindo o pagamento de dividendos além do dividendo mínimo obrigatório, exige aprovação em Assembleia Geral Ordinária por maioria de votos de acionistas titulares de suas Ações Ordinárias e irá depender de diversos fatores. Dentre estes fatores estão seus resultados operacionais, condição financeira, necessidades de caixa, perspectivas futuras e outros fatores que seu Conselho de Administração e acionistas julguem relevantes. Dentro do contexto de seu planejamento tributário, no futuro será benéfico o pagamento de juros sobre o capital próprio.

De acordo com as regras do Novo Mercado, seu capital social deve ser representado exclusivamente por Ações Ordinárias e, portanto, a Companhia não está autorizada a emitir ações preferenciais. Em 25 de maio de 2005, foi realizada uma assembleia geral extraordinária que aprovou, dentre outras coisas, a (i) conversão da totalidade das suas ações preferenciais em Ações Ordinárias, à razão de uma ação ordinária para cada ação preferencial; e (ii) alteração do Estatuto Social, de forma a adaptá-lo às regras do Novo Mercado. Em 29 de julho de 2005, foi celebrado um contrato com a BOVESPA regulando a listagem das suas Ações Ordinárias no Novo Mercado da BM&FBovespa.


Histórico

A tabela abaixo mostra os dividendos e juros sobre capital próprio distribuídos aos acionistas da Cyrela nos períodos indicados:

         
Data de pagamento Proventos Ordinária CYRE3
(R$/ação)
Preferencial CYRE4
(R$/ação)
Lucros distribuídos
(R$ milhões)
27/06/14 (-) Dividendos Pagos 0,423071253   170,723
28/06/13 (-) Dividendos Pagos 0,125576558   52,041
28/06/13 (-) Dividendos Pagos 0,378324148   156,785
27/06/12 (-) Dividendos Pagos 0,288105437   118,316
24/06/11 (-) Dividendos Pagos 0,3370211640   142,559
11/05/10 (-) Dividendos Pagos 0,470341052   198,906
11/05/09 (-) Dividendos Pagos 0,185395756   65,955
16/05/08 (-) Dividendos Pagos 0,040978   14,574
25/09/07 (-) Dividendos Pagos 0,168709   60,000
10/05/07 (-) Dividendos pagos 0,085152   30,183
13/12/06 Desdobramento 2:1 CYRE3
31/10/06 (-) JCP Pago 0,180554   32,000
26/04/06 (-) Dividendos pagos 0,268982   40,000
2005 Entrada no Novo Mercado: ações preferenciais convertidas em ordinárias
16/08/05 (-) Dividendos pagos 0,381382 0,419519 32,000
23/12/04 (-) Dividendos pagos 0,214526 0,235980 18,000
08/06/04 (-) Dividendos pagos 0,093820 0,103200 7,805
30/05/03 (-) Dividendos pagos 0,134270 0,147690 11,266
18/03/02 (-) Dividendos pagos 0,238354 0,262189 20,000
07/03/01 (-) Dividendos pagos 0,251404 0,276540 20,000
23/06/00 (-) Dividendos pagos 0,129240 0,142160 9,858


  Download do PDF

Política de Divulgação

 

I – Definições Aplicáveis a esta Política

 

As definições utilizadas na presente Política de Divulgação terão os seguintes significados:

 

Bolsas de Valores – Significam a BM&FBovespa e quaisquer outras bolsas de valores ou mercados organizados de negociação em que a Companhia tenha Valores Mobiliários admitidos à negociação.

 

Companhia – Significa a Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações.

 

CVM – Significa a Comissão de Valores Mobiliários.

 

Diretor de Relações com Investidores – Significa o diretor da Companhia eleito para exercer as atribuições previstas na regulamentação da CVM e designado para acompanhar e fiscalizar o cumprimento da Política de Divulgação.

 

Informação Relevante – Significa qualquer decisão de acionista controlador, deliberação de Assembléia Geral ou dos órgãos de administração da Companhia ou qualquer outro ato ou fato de caráter político-administrativo, técnico, negocial ou econômico-financeiro ocorrido ou relacionado aos negócios da Companhia, que possa influir de modo ponderável (i) na cotação dos Valores Mobiliários; (ii) na decisão dos investidores de comprar, vender ou manter os Valores Mobiliários; ou (iii) na determinação de os investidores exercerem quaisquer direitos inerentes à condição de titulares de Valores Mobiliários. Relação exemplificativa de situações que podem configurar Informação Relevante encontra-se no artigo 2º da Instrução CVM n.º 358/2002.

 

Pessoas Vinculadas – Significam a Companhia, seus acionistas controladores, diretos e indiretos, Diretores, membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal e de quaisquer outros órgãos com funções técnicas ou consultivas, sociedades controladas e/ou sob controle comum e respectivos acionistas controladores, membros da administração e de órgãos com funções técnicas ou consultivas, que tenham aderido expressamente à Política de Divulgação e estejam obrigados à observância das regras nela descritas. Outras pessoas que a Companhia considere conveniente poderão aderir a presente Política de Divulgação, adquirindo a condição de Pessoas Vinculadas.

 

Política de Divulgação – Significa a Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo.

 

Valores Mobiliários – Significam as ações, debêntures, bônus de subscrição, recibos e direitos de subscrição, notas promissórias de emissão da Companhia e derivativos referenciados a quaisquer desses Valores Mobiliários.

 

 

II – Objetivo

 

Objetivo da presente Política de Divulgação é estabelecer as regras que deverão ser observadas pelo Diretor de Relações com Investidores e demais Pessoas Vinculadas no que tange à divulgação de Informações Relevantes e à manutenção de sigilo acerca de Informações Relevantes que ainda não tenham sido divulgadas ao público. A Política de Divulgação da Companhia foi elaborada nos termos da Instrução da CVM n.º 358/2002.

 

Quaisquer dúvidas acerca das disposições da presente Política de Divulgação, da regulamentação aplicável editada pela CVM e/ou sobre a necessidade de se divulgar ou não determinada informação ao público deverão ser esclarecidas juntamente ao Diretor de Relações com Investidores.

 

 

III – Adesão

 

Deverão aderir à presente Política de Divulgação, as Pessoas Vinculadas, além dos gerentes e funcionários da Companhia que tenham acesso frequente a Informações Relevantes e outros que a Companhia considere necessário ou conveniente.

 

A Companhia manterá em sua sede a relação das Pessoas Vinculadas e suas respectivas qualificações, indicando cargo ou função, endereço e número de inscrição do Cadastro Nacional de Pessoas Físicas e/ou Pessoas Jurídicas, atualizando-a sempre que houver qualquer alteração.

 

 

IV – Deveres e Responsabilidades

 

São responsabilidades do Diretor de Relações com Investidores da Companhia:

 

(i) divulgar e comunicar à CVM e às Bolsas de Valores, imediatamente após a ciência, qualquer ato ou fato relevante ocorrido ou relacionado aos negócios da Companhia que seja considerado Informação Relevante;

 

(ii) zelar pela ampla e imediata disseminação da Informação Relevante simultaneamente nas Bolsas de Valores e em todos os mercados nos quais a Companhia tenha Valores Mobiliários admitidos à negociação, assim como ao público investidor em geral.

 

A comunicação de Informações Relevantes à CVM e às Bolsas de Valores deve ser feita imediatamente por meio de documento escrito, descrevendo detalhadamente os atos e/ou fatos ocorridos, indicando, sempre que possível, os valores envolvidos e outros esclarecimentos.

 

A Informação Relevante deve ser divulgada ao público por meio de anúncio publicado nos jornais utilizados pela Companhia, podendo o anúncio conter a descrição resumida da Informação Relevante, desde que indique endereço na Internet onde esteja disponível a descrição completa da Informação Relevante, em teor no mínimo idêntico ao texto enviado à CVM e Bolsas de Valores.

 

Sempre que for veiculada Informação Relevante por qualquer meio de comunicação, inclusive informação à imprensa ou em reuniões de entidades de classe, investidores, analistas ou com público selecionado, no País ou no exterior, a Informação Relevante será divulgada simultaneamente à CVM, Bolsas de Valores e ao público investidor em geral.

 

Qualquer Pessoa Vinculada que tenha conhecimento de atos ou fatos que possam configurar Informação Relevante deverá proceder à comunicação imediata ao Diretor de Relações com Investidores.

 

As Pessoas Vinculadas que tiverem conhecimento de Informação Relevante, sempre que se certifiquem de omissão na divulgação de Informações Relevantes, após decorridos 3 (três) dias úteis do recebimento pelo Diretor de Relações com Investidores de comunicação escrita e protocolada enviada por Pessoa Vinculada, sem que tenha havido qualquer manifestação por parte do Diretor de Relações com Investidores, deverão comunicar a Informação Relevante diretamente à CVM, observado sempre o disposto na Seção V seguinte.

 

A Informação Relevante deverá, preferencialmente, ser divulgada antes do início ou após o encerramento dos negócios nas Bolsas de Valores. Caso as Bolsas de Valores não estejam operando simultaneamente, a divulgação será feita observando o horário de funcionamento das Bolsas de Valores localizadas no Brasil.

 

 

V – Exceção à Imediata Divulgação de Informação Relevante

 

Os atos ou fatos que constituam Informação Relevante poderão deixar de ser divulgados se a sua revelação puder colocar em risco interesse legítimo da Companhia, confirmado pelo Diretor de Relações com Investidores.

 

A Companhia poderá decidir por submeter à apreciação da CVM questão acerca da divulgação ao público de Informação Relevante que possa colocar em risco interesse legítimo da Companhia.

 

Sempre que a Informação Relevante ainda não divulgada ao público tornar-se do conhecimento de pessoas diversas das que (i) tiveram originalmente conhecimento; e/ou (ii) decidiram manter sigilosa a Informação Relevante, ou, caso se verifique que ocorreu oscilação atípica na cotação, preço ou quantidade negociada dos Valores Mobiliários, o Diretor de Relações com Investidores deverá providenciar para que a Informação Relevante seja imediatamente divulgada à CVM, Bolsas de Valores e público.

 

VI – Dever de Guardar Sigilo Acerca de Informação Relevante

 

As Pessoas Vinculadas devem guardar sigilo acerca de Informações Relevantes que ainda não tenham sido divulgadas, às quais tenham acesso em razão do cargo ou posição que ocupam, até que tais Informações Relevantes sejam divulgadas ao público, bem como zelar para que subordinados e terceiros de sua confiança também o façam.

 

Mesmo após a sua divulgação ao público, a Informação Relevante deve ser considerada como não tendo sido divulgada até que tenha decorrido tempo razoável para que os participantes do mercado tenham recebido e processado a Informação Relevante.

 

As Pessoas Vinculadas não devem discutir Informações Relevantes em lugares públicos. Da mesma forma, as Pessoas Vinculadas somente deverão tratar de assuntos relacionados à Informação Relevante com aqueles que tenham necessidade de conhecer a Informação Relevante.

 

Quaisquer violações desta Política de Divulgação verificadas pelas Pessoas Vinculadas deverão ser comunicadas imediatamente à Companhia, na pessoa do Diretor de Relações com Investidores.

 

Caso qualquer Pessoa Vinculada verifique que uma Informação Relevante ainda não divulgada ao público tornou-se do conhecimento de pessoas diversas das que (i) tiveram originalmente conhecimento; e/ou (ii) decidiram manter sigilosa a Informação Relevante, ou, ainda, que ocorreu oscilação atípica na cotação, preço ou quantidade negociada dos Valores Mobiliários, tais fatos deverão ser imediatamente comunicados à Companhia, na pessoa do Diretor de Relações com Investidores.

 

 

VII – Penalidades

 

As Pessoas Vinculadas obrigam-se a respeitar e cumprir todas as disposições da presente Política de Divulgação, estando o descumprimento sujeito às penalidades previstas na regulamentação aplicável.

 

Favor clicar aqui para acessar a versão em pdf da “Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo da Cyrela Brazil Realty S.A. Empreendimentos e Participações”.



  Download do PDF

 

Política de Privacidade

 

A Política de Privacidade da Cyrela Brazil Realty foi criada para demonstrar o compromisso da Companhia com a segurança e a privacidade de informações coletadas dos usuários de serviços interativos aqui disponíveis. Investidores e analistas podem visitar este website e conhecer os serviços que a Cyrela Brazil Realty oferece, ler relatórios, obter informações e notícias, sem fornecer informações pessoais. Caso você forneça alguma informação, essa política procura esclarecer como a Cyrela Brazil Realty coleta e trata suas informações individuais. Recomenda-se a verificação temporária dessa política, que está sujeita a alterações sem prévio aviso.

 

1. Quaisquer informações que os usuários passarem serão coletadas e guardadas de acordo com padrões rígidos de segurança e confidencialidade.

 

2. As informações pessoais que forem passadas pelos usuários serão coletadas por meios éticos e legais, podendo ter um ou mais propósitos, sobre os quais os usuários serão informados.

 

3. Os usuários serão avisados de quais informações suas estarão sendo coletadas antes do instante dessa coleta, ficando a opção de escolha para fornecimento ou não dessas informações sob responsabilidade do usuário, o qual também terá ciência das consequências de sua decisão.

 

4. A menos que a Cyrela Brazil Realty receba determinação legal ou judicial, suas informações nunca serão transferidas a terceiros ou usadas para finalidades diferentes daquelas para as quais foram coletadas.

 

5. O acesso às informações coletadas está restrito apenas a funcionários autorizados para o uso adequado dessas informações. Os funcionários que se utilizarem indevidamente dessas informações, ferindo essa Política de Privacidade, estarão sujeitos às penalidades do processo disciplinar da Cyrela Brazil Realty.

 

6. A Companhia manterá íntegras as informações que forem fornecidas pelos visitantes.

 

7. Este website contém links ou frames de outros sites, que podem ou não ser parceiros da Companhia e aliados. Esses links e frames são disponibilizados buscando, tão somente, proporcionar mais um benefício para os usuários. Vale ressaltar que a inclusão desses links e frames não significa que a Cyrela Brazil Realty tenha conhecimento, concorde ou seja responsável por eles ou por seus respectivos conteúdos. Portanto, a Cyrela Brazil Realty não pode ser responsabilizada por eventuais perdas ou danos sofridos em razão de utilização dos referidos links ou frames.

 

8. Sempre que outras organizações forem contratadas para prover serviços de apoio, será exigida a adequação aos padrões de privacidade da Cyrela Brazil Realty.

 

9. Para fins administrativos, eventualmente a Companhia poderá utilizar "cookies"(*), sendo que o usuário pode, a qualquer instante, ativar em seu navegador mecanismos para informá-lo quando os mesmos estiverem acionados ou para evitar que sejam acionados.

 

10. Outras importantes informações sobre os termos e condições de utilização deste website estão disponíveis em Condições de Uso.

 

(*) Cookie: pequeno arquivo colocado em seu computador para rastrear movimentos dentro dos websites



  Download do PDF

Política de Negociação de Ações

 

A – Definições e Adesão

1. As palavras e expressões listadas no Anexo I à presente Política de Negociação, quando iniciadas com letra maiúscula na presente Política de Negociação, têm os significados que lhes são ali atribuídos.

 

2. Poderão assinar Termo de Adesão à presente Política de Negociação (nos termos do Anexo II), tornando-se Pessoas Vinculadas para os fins aqui previstos, os acionistas controladores da Companhia, diretos ou indiretos, seus diretores, membros do Conselho de Administração, do Conselho Fiscal, quando instalado, e de quaisquer outros órgãos com funções técnicas ou consultivas criados por disposição estatutária, gerentes e funcionários, sociedades controladas e/ou sob controle comum e seus respectivos acionistas controladores, membros da administração e de órgãos com funções técnicas ou consultivas, prestadores de serviços e outros profissionais da Companhia que tenham acesso a Informações Relevantes, assim como outros que a Companhia considere necessário ou conveniente, e que tenham interesse em se vincular aos termos da presente Política de Negociação. As normas desta Política de Negociação aplicam-se também nos casos em que as negociações por parte das Pessoas Vinculadas se dêem para o seu benefício direto e/ou indireto, mediante a utilização, por exemplo, de: (i) sociedade por elas controlada, direta ou indiretamente; (ii) terceiros com que for mantido contrato de gestão, fideicomisso (trust); (iii) procuradores ou agentes; (iv) cônjuges dos quais não estejam separados judicialmente, companheiros(as) e quaisquer dependentes incluídos na respectiva declaração anual de imposto sobre a renda.

 

3. A Companhia manterá em sua sede a relação das Pessoas Vinculadas e suas respectivas qualificações, indicando cargo ou função, endereço e número de inscrição do Cadastro Nacional de Pessoas Físicas e/ou Pessoas Jurídicas, atualizando-a sempre que houver qualquer alteração.

B – Objetivo

 

4. O objetivo da presente Política de Negociação é estabelecer as regras que deverão ser observadas pelas Pessoas Vinculadas e pela Companhia, visando à negociação transparente e ordenada dos Valores Mobiliários de emissão da Companhia e evitando o uso inadequado de Informação Relevante. A presente Política de Negociação da Companhia foi elaborada nos termos da Instrução CVM n.º 358/2002.

 

5. Quaisquer dúvidas acerca das disposições da presente Política de Negociação deverão ser esclarecidas juntamente ao Diretor de Relações com Investidores da Companhia.

C – Vedação a Negociações

 

6. Nos termos da Instrução CVM n.º 358/2002, é vedada a negociação pelas Pessoas Vinculadas de Valores Mobiliários de emissão da Companhia antes da divulgação ao mercado de Informação Relevante.

 

7. Também é vedada a negociação: (i) se existir a intenção de promover a incorporação, cisão total ou parcial, fusão, transformação ou reorganização societária da Companhia; e (ii) em relação aos acionistas controladores, diretos ou indiretos, diretores e membros do Conselho de Administração, sempre que estiver em curso a aquisição ou a alienação de ações de emissão da Companhia pela própria Companhia, suas controladas, coligadas ou outra sociedade sob controle comum, ou se houver sido outorgada opção ou mandato para o mesmo fim, ressalvado o disposto no item 14 abaixo.

 

8.No contexto de uma oferta pública de distribuição de Valores Mobiliários e nos termos do artigo 48 da Instrução CVM n.º 400/2003, Pessoas Vinculadas deverão abster-se de negociar, até a publicação do anúncio de encerramento de distribuição, com Valores Mobiliários de emissão da Companhia.

 

9. As Pessoas Vinculadas não poderão, ainda, negociar os Valores Mobiliários de emissão da Companhia no período de 15 (quinze) dias corridos que anteceder à divulgação das informações trimestrais (ITR) e anuais (DFP) da Companhia, ressalvado o disposto no § 3º do art. 15, da Instrução CVM n.º 358/2002 e a hipótese prevista no item 13 abaixo.

 

10. As Pessoas Vinculadas que se afastarem da Companhia anteriormente à divulgação de Informação Relevante originada durante seu período de gestão não poderão negociar Valores Mobiliários da Companhia: (i) pelo prazo de 6 (seis) meses após o seu afastamento; ou (ii) até a divulgação, pela Companhia, da Informação Relevante ao mercado.

11. Caso tenha sido celebrado qualquer acordo ou contrato visando à transferência do controle acionário da Companhia, ou se houver sido outorgada opção ou mandato para o mesmo fim, bem como se existir a intenção de promover incorporação, cisão total ou parcial, fusão, transformação ou reorganização societária da Companhia, e enquanto a operação não for tornada pública por meio da publicação de fato relevante, o Conselho de Administração da Companhia não poderá deliberar a aquisição ou alienação de ações de própria emissão.

12. As vedações à negociação de Valores Mobiliários da Companhia deixarão de vigorar tão logo a Companhia divulgue a Informação Relevante aplicável ao mercado. No entanto, tais vedações serão mantidas, mesmo após a divulgação da Informação Relevante, na hipótese em que eventuais negociações com Valores Mobiliários por Pessoas Vinculadas possam interferir, em prejuízo da Companhia ou de seus acionistas, com o ato ou fato associado à Informação Relevante.

D – Autorização para a Negociação de Valores Mobiliários


13. Nos termos da Instrução CVM n.º 358/2002, as Pessoas Vinculadas poderão negociar Valores Mobiliários de emissão da Companhia no período a que se refere o item 9 acima (black-out period), desde que tais negociações correspondam a aquisição de ações que se encontrem em tesouraria, através de negociação privada, decorrente do exercício de opção de compra de acordo com plano de outorga de opção de compra de ações aprovado em assembléia geral.

14. Na hipótese prevista no item 7(ii) acima, a vedação à negociação aplicar-se-á apenas e tão somente nos períodos em que a Companhia estiver efetuando as aquisições ou alienações no âmbito do programa de recompra, entendidos tais períodos como as datas em que a Companhia efetuar aquisição ou alienação e o período de 5 (cinco) dias que anteceder cada data de aquisição ou alienação pela Companhia no âmbito do programa de recompra vigente.

15. As restrições desta Política de Negociação não se aplicam a negociações realizadas por fundos de investimento dos quais as Pessoas Vinculadas sejam quotistas, desde que não sejam fundos de investimento exclusivos ou fundos de investimento cujas decisões de negociação do administrador ou gestor da carteira sejam influenciadas pelas Pessoas Vinculadas.

E – Obrigação de Indenizar

16. As Pessoas Vinculadas responsáveis pelo descumprimento de qualquer disposição constante desta Política de Negociação se obrigam a ressarcir a Companhia e/ou outras Pessoas Vinculadas, integralmente e sem limitação, de todos os prejuízos que a Companhia e/ou outras Pessoas Vinculadas venham a incorrer e que sejam decorrentes, direta ou indiretamente, de tal descumprimento.

F – Alteração

17. Qualquer alteração desta Política de Negociação deverá ser obrigatoriamente aprovada pelo Conselho de Administração da Companhia e comunicada à CVM e às Bolsas de Valores. A Política de Negociação não poderá ser alterada na pendência de divulgação de Informação Relevante.

G – Responsabilidade de Terceiros

18. As disposições da presente Política de Negociação não elidem a responsabilidade de terceiros não diretamente ligados à Companhia e que tenham conhecimento sobre Informação Relevante.


  Download do PDF

 

Código de Ética e Conduta

 

Mensagem do Presidente

Prezado(a) Colaborador(a),

O fundamento que sustenta o desenvolvimento e fortalecimento da Cyrela e que a torna uma das melhores e mais admiradas incorporadoras do mercado imobiliário do Brasil é a conduta ética, e é essa a cultura que desejamos compartilhar e reafirmar através deste documento.

A empresa só pode agir eticamente por intermédio das pessoas que atuam em seu nome, e em todos os níveis, seja dentro ou fora da organização.

O presente Código de Conduta consolida as diretrizes e normas de comportamento que consideramos eticamente corretas, visando regular as condutas e ações de todos colaboradores (independentemente da posição hierárquica), parceiros de negócios, prestadores de serviços e fornecedores, estabelecendo os compromissos éticos destes para com a empresa.

Devemos, portanto, realizar nossas atividades conforme os princípios e regras éticas vinculativas apresen­tadas neste Código e, com a sua especial participação, aprimorar e garantir a imagem e a reputação da empresa, reconhecida pela excelência e qualidade de seus serviços.

Recomendamos que você dedique um tempo adequado para conhecer e assimilar o conteúdo deste Código.

Sua efetiva identidade pessoal com nossa cultura corporativa é fator crítico de sucesso para que a organização assegure a ética e a integridade como elementos centrais em todos os seus relacionamentos e atividades.

Diretor Presidente

Visão, Missão e Valores

 

VISÃO
Fazer a diferença, sendo a melhor e mais rentável empresa do setor de incorporação imobiliária, com atuação ética e comprometida com o desenvolvimento socioambiental brasileiro.

MISSÃO
Oferecer o melhor valor aos seus clientes, acionistas, colaboradores, e à comunidade em geral, com atuação baseada em princípios, excelência e qualidade.

VALORES
A empresa acredita no crescimento construído sobre bases sólidas e éticas.

Para tanto, é essencial perenizar e fortalecer a prática dos valores praticados pela empresa desde a sua fundação (o que chamamos Cultura Cyrela). São eles:

Cliente
Ser mais para o cliente
Oferecer imóveis diferenciados

Trabalho
Ser dono
Foco em resultados
É sempre possível melhorar
Idéias antes da hierarquia

Pessoas
Líderes formando líderes
Meritocracia
Todos podem evoluir
Respeito ao ser humano e às relações

Perenização
Princípios acima de tudo
Utilização responsável pelos recursos
Solidez financeira
Relações de longo prazo

Acionista fundador
Trabalho e espiritualidade

Filantropia


Relação com os colaboradores

 

Transparência. A Cyrela considera a transparência nas relações com os seus colaboradores questão fundamental para a construção de um ambiente de confiança mútua e de responsabilidade em todos os níveis da empresa.

Discriminação. A Cyrela não admite, nos processos de recrutamento e seleção, treinamento, remuneração, promoção, desligamento, transferência ou quaisquer outros fatores relativos ao desempenho profissional, qualquer forma de discriminação relativa à raça, idade, sexo, cor, nacionalidade, religião, preferência sexual, incapacidade física ou mental e/ou qualquer outra classificação protegida por leis federais, estaduais ou municipais.

Assédio e danos morais. A Cyrela não tolera qualquer tipo de assédio, moral ou sexual, ou qualquer conduta que possa ser caracterizada como ofensiva ou constrangedora e que ocasione alguma forma de dano moral a qualquer colaborador.

Utilização de trabalho ilegal. A Cyrela não admite também a utilização do trabalho forçado, compulsório, infantil ou qualquer outra forma de exploração que agrida a dignidade humana dentro ou fora da empresa. Portanto, a Cyrela incorpora em seus princípios e ações a Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) e o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Partidos Políticos. O voto e a filiação a partidos políticos é uma escolha que compete a cada colaborador, não podendo este ser induzido de qualquer forma por superiores hierárquicos ou colegas. Além disso, a situação profissional de um colaborador não pode ser influenciada, prejudicada ou favorecida por causa de sua escolha política.

Bebida alcoólica e drogas. A Cyrela endossa a política governamental restritiva ao consumo de bebida alcoólica e drogas ilegais, bem como estar sob efeito dessas durante a jornada e/ou no ambiente de trabalho. Por ser nocivo à saúde e causar incômodo aos não fumantes, o fumo também não é permitido nos ambientes internos da Cyrela, de acordo com a legislação em vigor.

Postura íntegra. Sempre que o colaborador estiver na condição de representante da Cyrela, numa situação profissional ou social, deve honrar com os princípios de honestidade e integridade aqui expressos, não adotando posturas ou atitudes que possam comprometer a imagem, a reputação e os interesses da empresa.

Segurança. A Cyrela respeita todas as normas relativas à saúde e segurança no local de trabalho, sendo assim, os gestores e demais colaboradores devem se comprometer com os procedimentos e instruções que regulam e preservam a segurança e a saúde.

Bens da empresa. Todos os colaboradores são responsáveis pela guarda, zelo e conservação de ativos e propriedades da Cyrela, sendo que nenhum colaborador pode apropriar-se de ativos ou recursos da empresa, nem utilizar os mesmos para benefício próprio ou de terceiros.

Preservação das Informações. Cada colaborador deve zelar para que as informações de propriedade da empresa fiquem devidamente protegidas e não possam ser acessadas por pessoal não autorizado.

Uso de meios eletrônicos de informação. Todas as informações da empresa passíveis de divulgação estão disponíveis no nosso site ( http://www.cyrela.com.br e http://www.livingconstrutora.com.br), portanto, não se admite a transmissão pela Internet de qualquer informação ou documento interno, de caráter confidencial.

Os colaboradores devem usar os recursos disponíveis de comunicação eletrônica única e exclusivamente para fins profissionais, dentro das exigências legais e segundo os princípios éticos deste Código. Assim, não deve transmitir comentários difamatórios, usar linguagens, imagens ou arquivos que sejam ofensivos ou induzam qualquer forma de discriminação.

Integridade das informações. Todos os colaboradores são responsáveis pelas informações seguras e precisas contidas nos registros e documentações que dão sustentação para as atividades da Cyrela, portanto devem assegurar a correção e adequação dos dados, bem como manter toda a documentação de acordo com os procedimentos estabelecidos e as exigências legais/fiscais.

É preciso estar ciente que esses requisitos ajudam a garantir que a Cyrela seja administrada com eficácia e os relatórios financeiros forneçam aos acionistas informações precisas e seguras sobre o desempenho financeiro da empresa.

Negociação de Ações da Cyrela. É de responsabilidade de todos os colaboradores da Cyrela proteger e guardar sigilo sobre informação relevante ainda não divulgada pela empresa ao mercado, bem como não divulgá-la ou utilizá-la em benefício próprio ou de outros, observada a Política de Divulgação e Negociação de Ações da Cyrela e as normas e sanções editadas pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

Valorização de pessoas. A Cyrela acredita que seus colaboradores são parte fundamental do seu sucesso enquanto empresa, incentiva seu contínuo desenvolvimento. Os gestores devem utilizar a meritocracia como critério para promover o desenvolvimento profissional dos colaboradores da empresa.

Relacionamento com os clientes


O relacionamento da Cyrela com os clientes deveser pautado na cortesia e presteza; atendimento eficaz; respeito aos direitos do cliente; transparência nas operações realizadas; receptividade e tratamento adequado das sugestões e críticas recebidas; confidencialidade das informações recebidas; e agir sempre com dignidade e lealdade, não fornecendo informações enganosas ou improcedentes sobre produtos da empresa.

É proibida a divulgação de informação referente a clientes, a menos que devidamente autorizado, formalmente, pela área de Marketing e Comunicação da empresa  ou por cumprimento de exigência legal.

Deve ser garantido aos clientes acesso a canais de comunicação habilitados para receber eventuais reclamações, solicitações, sugestões e denúncias.


Relacionamento com os Fornecedores e Parceiros de Negócio

A contratação de fornecedores e parceiros de negócios deve observar critérios técnicos e éticos, e ser baseadas na idoneidade, capacidade financeira e profissional da empresa de entregar produtos e serviços de alta qualidade, a preços justos.

Todos os colaboradores devem respeitar as condições contratuais e comerciais e salvaguardar o sigilo das informações estabelecidas entre a Cyrela e os fornecedores e parceiros de negócio, bem como estes também se obrigam a zelar pelas condições de confiança mútua quanto ao sigilo e garantias contratuais, sob pena da ruptura das relações comerciais.

A Cyrela não admite que, no trato com fornecedores e parceiros de negócio, qualquer colaborador obtenha vantagem pessoal mediante influência de sua posição na empresa.

Os parceiros de negócios e fornecedores contratados pela Cyrela devem atender a toda a legislação vigente, inclusive a trabalhista, tributária e ambiental, e não podem explorar a mão de obra infantil ou escrava.

Todos os fornecedores e parceiros de negócio devem pautar seu comportamento pelos princípios expressos neste Código de Conduta. Em qualquer momento, o fornecedor ou parceiro de negócio que deixar de atender às exigências citadas será desqualificado.

Relacionamento com os Acionistas

A Cyrela respeita o princípio de igualdade de tratamento entre seus acionistas, é transparente na distribuição de dividendos nos demonstrativos da situação econômico-financeira e é pró-ativa na disponibilização de informações por meio de colaboradores autorizados.

Relacionamento com as Associações e Entidades de Classe

A Cyrela possui profundo respeito e reconhece o importante papel que as Associações e Entidades de Classe representam para o seu negócio. 

A Cyrela e seus colaboradores devem observar os acordos coletivos aplicáveis às suas atividades.

As comunicações e inter-relacionamento da empresa com as Associações e Entidades de Classe só devem ser feitos pelos colaboradores cuja função esteja diretamente relacionada com as mesmas e aqueles designados pela Diretoria.

Relacionamento com os Concorrentes

Todos os colaboradores devem atuar de acordo com os princípios de livre concorrência.

A obtenção de informações deve ocorrer de maneira lícita e transparente, a fim de não expor os negócios perante a concorrência, preservando o sigilo das informações em seu poder.

Nenhum colaborador está autorizado a fornecer informações estratégicas da empresa, confidenciais ou, sob qualquer outra forma, prejudiciais aos negócios da empresa a quaisquer terceiros, incluindo, mas não se limitando aos concorrentes.

Relacionamento com os Órgãos Governamentais e Reguladores

A Cyrela mantém um relacionamento ético e transparente com os órgãos governamentais e reguladores, não sendo tolerado qualquer tipo de concessão de vantagens ou privilégios a funcionários públicos no exercício de sua função, bem como o pagamento, seja em dinheiro, presentes, serviços ou qualquer benefício de valor com o objetivo de suborno ou tratamento especial.

As comunicações da empresa com os órgãos governamentais e reguladores só devem ser feitas pelos colaboradores cuja função esteja diretamente relacionada com os mesmos e aqueles designados pela Diretoria. 

A Cyrela e seus colaboradores se comprometem a cumprir a legislação e não executar qualquer ação que viole as leis e regulamentos vigentes.

Todo colaborador, quando estiver representando publicamente a Cyrela, deve abster-se de manifestar opinião sobre atos de funcionários públicos, ou mesmo de fazer comentários de natureza política.

Os colaboradores designados devem colaborar e ser diligentes no atendimento de procedimentos decorrentes de exigências de quaisquer órgãos reguladores.

Relacionamento com a Imprensa

A Cyrela responde de modo transparente às consultas solicitadas pela imprensa, instituições financeiras e autoridades, sempre resguardando os seus interesses comerciais e visando tão somente a divulgação institucional de produtos e serviços e o esclarecimento de suas ações.

A Cyrela não permite que os colaboradores dêem entrevistas a qualquer órgão de imprensa ou tenham sua imagem divulgada em assuntos referentes à empresa, sem autorização do Comitê de Comunicação da Cyrela.

As comunicações da empresa com a imprensa só devem ser feitas pela Presidência ou pessoa por este autorizada, através da área de Marketing e Comunicação. 

As informações divulgadas pela empresa internamente devem ser previamente aprovadas pelo Comitê de Comunicação da Cyrela, uma vez que todas as informações divulgadas pela empresa, seja internamente ou para a imprensa, devem estar alinhadas.

Relacionamento com o Meio Ambiente

A Cyrela respeita a legislação ambiental brasileira e apóia iniciativas e atividades visando o desenvolvimento sustentável do País.

A Cyrela acredita na importância de ações sustentáveis para a conservação de recursos naturais e preservação do planeta.

Os colaboradores devem conduzir suas atividades e seus projetos com respeito ao meio ambiente, seguindo as normas e regulamentações sanitárias, de forma a não prejudicar o equilíbrio ambiental natural.

Conflito de interesses

Existe “conflito de interesses” quando o colaborador utiliza sua influência ou comete atos com o intuito de alcançar interesses particulares e que se contraponham aos interesses da Cyrela ou que possam causar danos ou prejuízos à Cyrela.

Atos ou omissões que resultem nas situações acima são vedados em todas as relações envolvendo colaboradores e/ou representantes da empresa.

Privilégios

Nenhum presente ou entretenimento deve, em hipótese alguma, ser utilizado para influenciar inadequadamente, recompensar alguma decisão ou que vise qualquer benefício para a Cyrela.

Sob nenhuma circunstância os colaboradores devem oferecer privilégios, subornos, propinas ou outros tipos de pagamento semelhantes, direta ou indiretamente, durante a realização de atividades comerciais ou de qualquer modo.

Essas proibições se aplicam independente da conduta envolver funcionários do governo, empresas privadas ou indivíduos e independente do valor envolvido.

Oferta de presente. Quando o valor do presente ou entretenimento a ser ofertado tiver valor que possa ser considerado excessivo, será necessária a aprovação da Diretoria. 

Aceite de presente. Independente de valor, o colaborador não pode aceitar presente ou entretenimento oferecido em circunstâncias nas quais se suspeite, razoavelmente, que o mesmo visa influenciar inadequadamente o cumprimento dos deveres da empresa.

Quando a oferta de presentes ou entretenimento for para funcionários ou autoridades públicas é preciso seguir diretrizes ainda mais rígidas, observando as leis anticorrupção, pois há restrições legais significativas que proíbem ou limitam essas gratificações.

Comitê de Ética

O Comitê de Ética tem por objetivo assegurar a aplicabilidade e a aderência do Código de Conduta. 

São atribuições do Comitê de Ética:

  • Promover o comportamento ético e a manutenção do padrão de conduta em toda a empresa;
  • Assegurar a implementação e o cumprimento do Código e das leis anticorrupção;
  • Receber informações de violações do Código e das leis anticorrupção que requerem investigação mais apurada;
  • Garantir o sigilo sobre as informações recebidas;
  • Garantir que as denúncias sejam tratadas com isenção e imparcialidade;
  • Realizar os levantamentos necessários para suportar as decisões sobre as denúncias de violações recebidas;
  • Analisar e avaliar as violações recebidas e tomar as decisões cabíveis;
  • Nos casos mais graves de violações, propor as sanções cabíveis e encaminhar à Diretoria para a tomada de decisão;
  • Avaliar as revisões efetuadas no Código de Conduta, quando necessário e obter aprovação da Diretoria. 

O Comitê de Ética será composto por membros nomeados pelo Diretor Presidente, que ocupem cargos de Diretoria, Superintendência ou Gerência das seguintes áreas: Recursos Humanos, Jurídico, e Auditoria Interna.

O Comitê terá uma coordenação que será composta por um dos seus membros e será rodiziada uma vez por ano.

O mandato do Comitê é anual, com possibilidade de recondução.

Toda e qualquer revisão do Código deve ser aprovada pelo Conselho de Administração.

Violação do Código

É responsabilidade de cada colaborador o conhecimento das diretrizes e orientações expressas no Código de Conduta da Cyrela. Qualquer violação a essas diretrizes e orientações resultará em medidas disciplinares apropriadas, podendo ir desde advertências até o desligamento, conforme a gravidade da situação.

No caso dos prestadores de serviços e fornecedores, o desrespeito ao Código de Conduta da empresa poderá resultar em suspensão imediata do Contrato e, conforme o caso, a processo legal.

Todos os colaboradores têm o dever de relatar imediatamente qualquer violação do presente Código.

A omissão diante de possíveis violações, porque compromete a integridade e a lealdade das relações para com a empresa, será igualmente considerada conduta antiética e implicará nas mesmas sanções aplicáveis às demais violações.

Toda informação referente às possíveis violações éticas ou atividades ilegais será recebida e tratada confidencialmente, não se admitindo retaliação de qualquer natureza.

A Cyrela se compromete a manter sigilo sobre a identidade daqueles que relatarem e/ou participarem da investigação sobre violação do Código de Conduta.

Qualquer dúvida, sugestão, reclamação, crítica ou denúncia sobre o não-cumprimento das diretrizes do Código de Conduta deve ser encaminhada para o Comitê de Ética, por escrito, para o endereço eletrônico a ser disponibilizado pela empresa.

A versão atualizada do Código de Conduta pode ser encontrada no site: www.cyrela.com.br.

Compromisso e Adesão

O comprometimento dos colaboradores é fundamental para que o Código de Conduta seja um instrumento verdadeiro e de orientação da conduta em nome da empresa.  Todos são responsáveis por sua aplicação no cotidiano profissional.

A assinatura do Termo de Compromisso, anexo a este Código, é obrigatória e expressa a concordância no cumprimento dos princípios e orientações nele contidos.

Termo de Compromisso

Declaro que recebi, li e compreendi o Código de Conduta da Cyrela e concordo com os princípios e orientações nele contidos, assumindo o compromisso de cumpri-los nas minhas atividades profissionais.

Todas as atualizações julgadas necessárias pela Cyrela serão automaticamente incorporadas ao presente.